Refletir

 CRIANÇAS E DINHEIRO

​As crianças interferem diretamente na vida financeira das famílias. Com gastos elevados relacionados à educação e à realização atividades diversas, elas têm participação considerável no consumo ao mesmo tempo que influenciam as escolhas por determinados produtos e marcas.  
Por esse importante papel influenciador da criança, a educação financeira infantil é um tema relevante e precisa de toda atenção dos adultos que as cercam. 
Veja algumas dicas para estimular hábitos saudáveis para a formação de adultos conscientes e bem educados financeiramente.

  • Seja um bom exemplo para a criança. Reveja os seus próprios hábitos de consumo.
  • Mostre à criança os valores do trabalho e a importância dos estudos. É importante que ela entenda a relação trabalho X dinheiro na nossa sociedade.  
  • Ensine a criança a poupar e a planejar a utilização do dinheiro que está sendo guardado.
  • Estimule a criança com atividades simples, mas que desenvolvam noções de disciplina, responsabilidade e autonomia. Você pode utilizar tarefas simples do dia a dia como arrumar o quarto ou ajudar em alguma tarefa da casa.
  • Mostre para a criança que a vida é feita de escolhas. Levá-la ao supermercado é uma excelente oportunidade para ensinar à criança, de maneira lúdica, o que significa consumo consciente.
  • Mostre à criança a importância de doar. Compartilhar com outras pessoas que tem menos é um excelente exemplo de cidadania.
  • A mesada pode ser um bom instrumento de educação financeira, se for bem utilizada. Sua função principal é permitir que a criança comece a trabalhar alguns conceitos importantes para sua a vida financeira, como: escolhas de consumo para o seu dinheiro, definição de um orçamento e hábito da poupança.
  • Não atrele a mesada ao desempenho de tarefas da vida cotidiana ou mesmo como recompensa por alguma atitude da criança. A mesada não deve ser utilizada como fonte de barganha dos pais com os filhos.
  • O valor da mesada deve estar de acordo com a realidade financeira da família. O principal não é o valor, mas a forma como essa ação será trabalhada junto à criança. Trata-se de um processo educativo. 





​​​