Skip Navigation LinksSonho da casa própria

​O sonho da casa própria acompanha várias gerações das famílias brasileiras. A ampliação do poder aquisitivo somada aos incentivos do governo, como o programa Minha Casa Minha Vida, permitiu a realização dessa conquista, até então, distante para muitos.

 
Mais do que um sonho, adquirir um imóvel é a garantia de segurança e uma excelente forma de investimento, por conta da solidez do mercado imobiliário. Aqueles que aplicam em imóveis pretendem aumentar o seu capital pela valorização ou pela renda obtida com o aluguel.

 
Um imóvel é valorizado a partir do momento que existem compradores interessados e, principalmente, dispostos a pagar um valor superior ao que foi pago em sua compra. Por exemplo, um apartamento adquirido por R$100 mil, algum tempo depois, é vendido por R$ 140 mil. Nesse caso, houve uma valorização de 40%.

 
Nos últimos cinco anos (2008-2012), o Brasil experimentou uma grande valorização dos imóveis decorrente da crescente demanda e pouca oferta por parte das construtoras.

 
Esse cenário beneficiou tanto as imobiliárias quanto os investidores.

 
Um investidor também pode ter muito rendimento quando aplica seu dinheiro na construção do imóvel. Ao sair da planta, o imóvel tem valorização imediata, pois acaba o risco da obra não ser concluída.

 
Esse é o risco que o investidor assume. Por isso, é muito importante buscar informações sobre a solidez da construtora no PROCON, coletando recomendações ou reclamações da empresa.

 
O aluguel recebido pelo imóvel também representa um bom rendimento. Para os especialistas, imóvel bom é aquele que gera um aluguel mensal de 0,5% a 1% do seu valor. Se ele vale R$ 400.000,00, deve proporcionar um aluguel de R$ 2.000,00 a R$ 4.000,00, por exemplo. Vale lembrar que imóveis comerciais, normalmente, geram um melhor aluguel proporcional.

Antes de investir, pesquise quanto o mercado está pagando pelo aluguel de um imóvel semelhante. É válido ressaltar que um imóvel que não consegue ser alugado se transforma em uma fonte de despesas: IPTU, condomínio e conservação.​
Compartilhar: